sexta-feira, 24 de março de 2017

Ama-me como sou


Ama-me como eu sou. Acarinha aquilo que eu te dou. Escuta o meu grito. Sorve o que eu te digo. Sente o que eu sinto. Vigia a minha desilusão.

Não me ignores. Não me desprezes pelo que achas que é o que deve ser. O que deve ser é a média. O que deve existir é a mediana. Aquilo que sou é acima do normal. Acima do que os outros são porque é aquilo que se espera. Aquilo que sou é só para ti, não se compara a ninguém, não está enfileirado com os outros. É só para ti e contigo. Contigo é assim. Porque tu és tu. Contigo eu sou assim porque tu existes. 

Aquilo que hoje críticas amanhã podes não ter. 
Aquilo que não escutas amanhã pode estar vazio. Sente o que sinto. Ampara o meu caminho porque aquilo que te dou é real. Aquilo que te faço é verdadeiro. Não quero calar. Não quero silenciar. Mas sinto-me a esmorecer.
 Sinto-me a morrer sempre que não me vês. Sempre que não me sentes. Sempre que ignoras o meu ser. Sinto que a agitação de te ter se vai quando abandonas a minha essência. Renegas aquilo que de melhor eu tenho, ser verdadeira. E o meu amor por ti é autêntico.

Ama-me toda. Não ames só aquilo que esperas. Não queiras metade. Eu tenho tudo para te dar. Eu sou um tumulto de emoções. Trago em mim a essência do amor. Trago em mim o amor por ti. Pois ama-me como sou.